Autores:

 Sara Margarida Rodrigues Gomes  ON 2017, 16 ;maio 2011; On-line publication: maio 2011

A formação de seroma é definida como uma coleção subcutânea de fluido seroso, e é um problema comum após a cirurgia oncológica do doente diagnosticado com cancro da mama. Em alguns casos, este efeito secundário predispõe à infeção da ferida cirúrgica, podendo mesmo protelar o início da terapia adjuvante.

Existe uma multiplicidade de factores que condicionam a sua formação e embora a sua fisiologia permaneça controversa entre os autores, a realização de determinados procedimentos pelo Enfermeiro e pela Equipa Médica permitem minimizar as consequências do mesmo.

Palavras-chave: cirurgia; oncologia; cancro; mama; gânglios linfáticos axilares; seroma; mastectomia

Verifique o abstract completo aqui.

 

Obtenha este artigo

Para obter este artigo terá que ser membro AEOP. Se já é membro AEOP efetue aqui o seu login. Se ainda não é membro AEOP registe-se aqui.
Em alternativa, pode adquirir este artigo pelo preço de 5EUR utilizando para isso o nosso formulário de contacto.