Manitol Extravasation: Nursing Case Report

Autores:
Ana Catrina Almeida, Heidi de Jesus Faísca Salvado, Liliana Dias Pereira

DOI: https://www.onco.news/extravasamento-de-manitol-um-estudo-de-caso-pratico/

Resumo:
Diversos fármacos têm o potencial de causar danos nos tecidos se ocorrer extravasamento. A gravidade do extravasamento e a dimensão da lesão estão dependentes de inúmeros fatores, tais como a dose do medicamento, a sua concentração, local de administração e tempo de exposição ao mesmo. A prevenção é a forma mais eficaz de gestão do extravasamento. Perante a ocorrência de extravasamento torna-se crucial adotar um conjunto de medidas/protocolo atempados e adequados com o intuito de prevenir sequelas a longo prazo. As lesões por extravasamento, não relacionadas com a administração de quimioterapia (QT), mais frequentemente reportadas são causadas por soluções hiperosmolares e agentes vasopressores. A hialuronidase é o antídoto dos fármacos hiperosmolares sendo a sua administração fundamental na prevenção de danos nos tecidos decorrentes do extravasamento. Importa, assim, conhecer os princípios gerais que devem nortear a abordagem desta forma de iatrogenia.

Palavras-Chave: Enfermagem; Anorexia; Dor; Diarreia e Obstipação.

 

Verifique o abstract completo aqui.

Verifique a bibliografia aqui.

Obtenha este artigo

Pode obter este artigo gratuitamente clicando aqui.