Autores:

Carla Silva   ON 2017, 33 ; julho 2016; On-line publication: julho 2016

Resumo: A construção de um estoma determina na pessoa a vivência de um processo de transição saúde/doença, ao serem-lhe exigidos novos conhecimentos e habilidades fundamentais para a gestão do autocuidado ao estoma. O papel do enfermeiro é fundamental neste sentido, por ser o responsável na equipa de saúde pelo ensino e instrução da pessoa para o autocuidado ao estoma.

O objetivo deste estudo foi comparar a eficácia entre a utilização conjunta do método educacional tradicional com a telenursing e a utilização isolada do método educacional tradicional no ensino à pessoa para o autocuidado ao estoma. A pesquisa eletrónica foi realizada nas bases de dados referenciais para a pesquisa científica em enfermagem CINAHL, Scopus e Web of Science de 1 a 27 de abril de 2015 com o termo de pesquisa limitado ao título, resumo e palavras-chave: (ostom* oR stoma) and (“teaching method*” or “teaching strateg*” or “teaching alternative*” or “stoma education*” or “ostom* education*” or telenurs*) and (nursing or nurse*). De 73 artigos identificados foram selecionados quatro, conforme os critérios de inclusão, nomeadamente, estudos de investigação desenvolvidos na área de enfermagem que comparassem o método educacional tradicional associado à telenursing com o método educacional tradicional isolado em adultos com estoma sem défices cognitivos, motores ou sensoriais, disponíveis em formato integral e publicados desde 1995.

Três estudos referem que a pessoa com estoma apresenta mais conhecimento e melhores atitudes e comportamentos de autocuidado quando existe uma associação entre os métodos, no entanto, um estudo concluiu não existirem diferenças significativas quando comparada a eficácia entre a utilização isolada do método educacional tradicional e a utilização conjunta do método educacional tradicional com a telenursing.

A divergência dos resultados obtidos poder-se-á dever ao facto de as estratégias incluídas no método educacional que contempla a telenursing diferirem entre os estudos, sendo esta uma limitação. Concluiu-se que a utilização conjunta do método educacional tradicional e da telenursing no ensino à pessoa com estoma parece ser mais eficaz que a utilização isolada do método educacional tradicional, contudo, são necessários novos estudos que comparem e comprovem a eficácia destes métodos educacionais, assim como das diferentes estratégias utilizadas na telenursing no desenvolvimento da competência de autocuidado da pessoa ao estoma.

Palavras-chave: Estoma, autocuidado, métodos educacionais, telenursing

 

Verifique o abstract completo aqui.

 

Obtenha este artigo

Para obter este artigo terá que ser membro AEOP. Se já é membro AEOP efetue aqui o seu login. Se ainda não é membro AEOP registe-se aqui.
Em alternativa, pode adquirir este artigo pelo preço de 5EUR utilizando para isso o nosso formulário de contacto.