Autores:

Ana Fonseca; Bruno Alves; Joana Tobias; Marta Baltazar; Marta Melgão; Miguel Fernandes; Paulo Dias ON 2017, 33 ; novembro 2016; On-line publication: novembro 2016

Resumo: na atualidade, o cancro do pulmão apresenta uma elevada incidência na população, correspondendo-lhe igualmente uma grande taxa de mortalidade. Associado a esta patologia, um dos principais sintomas é a dispneia, caracterizada como desconforto respiratório que limita a realização das atividades diárias podendo culminar em isolamento social.

A presente revisão integrativa tem como objetivos identificar as estratégias utilizadas para o controlo da dispneia e clarificar as intervenções do enfermeiro no controlo da mesma, no doente com cancro do pulmão. De forma a atingi-los, efetuaram-se pesquisas em bases de dados científicas, das quais, como base nos critérios de inclusão/exclusão definidos, resultaram nove artigos.

Segundo informação científica analisada, inferiu-se que as estratégias mais utilizadas são os métodos farmacológicos e não farmacológicos, sendo a intervenção do enfermeiro fundamental na avaliação e controlo da dispneia, conjugando diferentes estratégias que melhorem a qualidade de vida do indivíduo. Desta revisão, evidencia-se a necessidade da realização de estudos que clarifiquem as controvérsias acerca dos métodos farmacológicos e aprofundem o conhecimento acerca das estratégias não farmacológicas e seus benefícios.

.

Palavras-chave: Dispneia; neoplasias Pulmonares; enfermagem

 

Verifique o abstract completo aqui.

 

Obtenha este artigo

Para obter este artigo terá que ser membro AEOP. Se já é membro AEOP efetue aqui o seu login. Se ainda não é membro AEOP registe-se aqui.
Em alternativa, pode adquirir este artigo pelo preço de 5EUR utilizando para isso o nosso formulário de contacto.