Lung cancer and pollution: A cross-sectional study
Autores:

Esmeralda Barreira; Manuela Pontes; Rui L. Maia; Gisela M. Oliveira; Diogo Guedes Vidal    ON 2018, 37; Novembro 2018; On-line publication: Novembro 2018

Resumo: São vários os estudos que estabelecem uma relação direta entre a exposição a poluentes e o desenvolvimento de determinadas patologias cancerígenas. O estado do ambiente é diretamente influenciado, em parte, pelas atividades antropogénicas, das quais se salientam a tipologia de atividade económica existente no local. Partindo de um projeto inicial WeGIx – WellBeing Global Index – o presente artigo procura:

Objetivos: estabelecer relação de associação entre os óbitos por tumores malignos da laringe, brônquios, traqueia e pulmões e a exposição ao ambiente, nomeadamente às emissões de PM10, PM2,5 e nOx, bem como à tipologia de empresa alocada ao município, tendo por base a tipologia do território – Predominantemente urbano, Semiurbano e Predominantemente Rural.

Material e Método: estudo observacional, transversal; dados estatísticos referentes ao ano de 2015 provenientes do PORdATA e APA – Agência Portuguesa do Ambiente da população portuguesa residente nos 308 municípios. Análise de dados efetuada utilizando o IBM® SPSS® Statistics vs.24.0, considerando um nível de significância de 0,05 para todas as situações de inferência estatística.

Resultados: As associações efetuadas revelam uma diferença de médias estatisticamente significativas entre as três tipologias de território no que se refere à mortalidade. Os resultados demonstram que o comportamento das variáveis independentes (relacionadas com as caraterísticas da população, …) em relação com a variável dependente (mortalidade) oscila consoante a tipologia… (predominantemente urbano, Semiurbano e Predominantemente Rural.

Conclusões: O estudo das variáveis em análise permite concluir a existência de uma relação de associação entre os óbitos por tumores malignos do pulmão e a exposição das pessoas a emissões de PM10, PM2,5 e nOx. no que se refere à tipologia de atividade económica, enquanto elemento condicionado pelas características do território, o impacto da sua variabilidade difere do tipo de território, consequentemente, influenciando de forma distinta a vulnerabilidade à morte.

Palavras – chave: Tumores malignos; Saúde; Ambiente; emissões antropogénicas; Atividade económica.

 

Verifique o abstract completo aqui.

Link DOI

 

Obtenha este artigo

Para obter este artigo terá que ser membro AEOP. Se já é membro AEOP efetue aqui o seu login. Se ainda não é membro AEOP registe-se aqui.
Em alternativa, pode adquirir este artigo pelo preço de 5EUR utilizando para isso o nosso formulário de contacto.

 

Referências
  • Anenberg, S.C., Miller, J., Minjares, R., Du, L., Henze, D.K., Lacey, F., Malley, C.S., Emberson, L., Franco, V., Klimont, Z., and Heyes, C. 2017. Impacts and mitigation of excess diesel-related NOx emissions in 11 major vehicle markets. Nature, 545: 467-471.
  • Cepeda, M., Schoufour, J., FreaK-Poli, R., Koolhaas, C. M., Dhana, K., Bramer, W. M., & Franco, O. H. (2017). Levels of ambient air pollution according to mode of transport: a systematic review. Lancet Pubic Health, pp. 23-34.
  • DGS. (2013). Portugal – Doenças Oncológicas em números – 2013. Lisboa: Direção-Geral da Saúde.
  • Greenbaum, D. S. (2013). Sources of Air Pollution: Gasoline and Diesel Engines. In K. Straif, A. Cohen, & J. Samet, Air Pollution and Cancer (pp. 49-62). Lyon: Internacional Agency for Research on Cancer (IARC) Publications.
  • Harrison, R. M., Hester, R. E., & Querol, X. (2016). Airborne Particulate Matter: Sources, Atmospheric Processes and Health (Vol. 42). The Royal Society of Chemistry.
  • Hirabayashi Satoshi, Nowak, D. (2016) Comprehensive national database of tree effects on air quality and human health in the United States Environmental Pollution 215: 48-57.
  • Ki-Hyun K., Pawan K., Jan E., Adedeji A., Muhammad J., Minori U., Scott C. (2017).Toward a better understanding of the impact of mass transit airpollutants on human health. J. Chemosphere: 268-279.
  • Office of Air Quality Planning and Standards Office of Air and Radiation, 1995. Chapter 3: Stationary Internal Combustion Sources, Section 3.3 Gasoline and Diesel Industrial Engines (1-9). AP 42, Fifth Edition Compilation of Air Pollutant Emission Factors. EPA – United States Environmental Protection Agency, North Carolina.
  • Raaschou-Nielsen, O., et.al. 2016. Particulate matter air pollution components and risk for lung cancer. Environment International, 87: 66-73.
  • WHO (2016). World health statistics 2016: monitoring health for the SDGs, sustainable development goals. Suiça: World Health Organization.